20130611-213536.jpg
Estou feliz com a notícia de que a seleção francesa deva mesmo ficar em Ribeirão Preto caso ela consiga a vaga na Copa do Mundo de 2014. Será uma grande oportunidade profissional. Acompanhar treinos, costumes, entrevistas coletivas, viver o ambiente Copa… mas, mais do que isso, devo dizer que existe o lado preocupante da história.

Moro na cidade do interior de SP que pode até ser uma das estruturadas do país. Tem um belo estádio (Santa Cruz) e uma excelente rede hoteleira (Hotel JP), mas isso não basta. Depois de conhecer parte da Itália, mesmo com o olhar de turista (e por poucos dias), posso garantir que falta muita coisa para nós afirmarmos que o país está pronto para receber uma Copa do Mundo.

Um exemplo. Por aqui o transporte público funciona. Os ônibus, trens e metrôs cumprem horários e chegam nos principais pontos das cidades. Em Ribeirão Preto, quando temos Agrishow, todos têm que usar táxis – e os taxistas superfaturam alegando “oportunidade”.

Torço por uma Copa perfeita no Brasil, mas ainda temos muitos problemas. Fico imaginando os torcedores das seleções que estarão na primeira fase em um Estado (Salvador, por exemplo) e, classificados, tendo que viajar para outro (Rio Grande do Sul ou Manaus).

Anúncios