Acabo de assistir à entrevista da blogueira cubana Yoani Sanchez ao Canal Livre, da Band, e, dentre as poucas conclusões que pode-se tirar a partir de um relato pessoal, carrego uma lição principal: todos têm – ou deveriam ter – direito a voz.

Essa meia dúzia que protestou durante a visita dela ao Brasil conhece o que de Cuba? Já morou lá para, de fato, poder afirmar algo sobre o regime político local? Leu artigos que fazem críticas a ela escritos por quem? O que ela realmente fez para torná-la uma “persona non grata” no Brasil?

Fanáticos, entendam. Não estou aqui para defendê-la, não vivo a realidade cubana e nunca fui às “ilhas de Fidel” (como isso é pejorativo!). Mas julgá-la porque ela faz críticas o sistema político que ela está inserida?!

Há quem diga que ela é financiada pelo governo norte-americano e blá blá blá. Existem inúmeros “políticos” financiados por partidos (e pelos nossos impostos, obviamente) e ninguém fala nada. Estamos mais preocupados com a blogueira cubana do que com os nossos vereadores, prefeitos e governadores.

Repito. Após a entrevista da Yoani Sanchez ao Canal Livre, o mínimo que eu desejo a está “persona” é que ela seja tratada com respeito, independente das opiniões que ela tenha, influenciada por quem quer seja. Escuta, reflita, debata, saiba ouvir e saiba falar.

Anúncios