Existe uma espécie de competição interna, muitas vezes inconsciente, entre os torcedores para saber quem é o mais fanático.

Sem entrar nos méritos/importância que isso tem/parâmetros de comparação, eles digladiam de diversas formas: comprando camisas, viajando para acompanhar o time, xingando o árbitro e até agredindo torcedores rivais.

Neste domingo, alguns imbecis (que competem para ser o mais fanático do Coritiba) agrediram uma garota de 13 anos porque ela pediu e ganhou a camisa do atacante Lucas, do São Paulo (leia reportagem: http://globoesporte.globo.com/futebol/times/sao-paulo/noticia/2012/09/lucas-da-camisa-para-fa-e-ve-pressionada-por-torcedores-rivais.html).

Também neste domingo, outros imbecis (os postulantes a fanático corintiano) fizeram um turista que usava o uniforme verde e branco do Celtic deixar o Pacaembu antes do início da partida contra o Sport. Detalhe: o mesmo rapaz carregava uma sacola de compras da loja do Corinthians (Lédio Carmona, comentarista do Sportv, falou sobre: http://sportv.globo.com/site/programas/redacao-sportv/noticia/2012/10/turista-ameacado-faixa-briga-por-lucas-ledio-carmona-ve-absurdos.html).

Existe um equívoco quanto ao conceito ‘torcedor fanático’. Estes, que competem para ser ‘o mais fanático’, enojam aquilo que deveria ser um ambiente de lazer e diversão.

Anúncios